Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Sobre o Campus
Início do conteúdo da página

Sobre o Campus

Publicado: Quinta, 11 de Fevereiro de 2016, 07h56 | Última atualização em Segunda, 27 de Março de 2017, 11h23

Em 01 de agosto de 2015, o Ifes, Campus Cachoeiro de Itapemirim, comemora 10 anos, demarcando como início de seu funcionamento a abertura dos cursos de educação profissional técnica de nível médio em Mineração e Eletromecânica que ocorreu em 1º de agosto de 2005. Entretanto, a implantação de uma Escola Técnica em Cachoeiro de Itapemirim remonta à década de 1980.

Em 1986, o Município de Cachoeiro de Itapemirim foi contemplado pelo Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Técnico (PROTEC), criado pelo Governo Federal, na gestão do então Presidente da República José Ribamar Ferreira de Araújo Costa (José Sarney), para receber uma Escola Técnica Federal1.

Neste mesmo ano, por meio da Lei Municipal n. 2.631 de 12 de dezembro de 1986, sancionada pelo prefeito Roberto Valadão Almokdice a Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, doou em terreno no Bairro Aeroporto para a construção da Escola, fixando o prazo em três anos2.

Em 1989, o Projeto de Lei 4564/1989, apresentado pelo Executivo Federal, cria cargos para servidores e prevê o funcionamento enquanto Unidade de Ensino Técnico Industrial para julho de 19903. Esse Projeto foi transformado na Lei Federal n. 8.433 de 16 de junho de 19924, sancionada pelo ex-presidente Fernando Affonso Collor de Mello. Entretanto, como a Escola não foi implantada neste período, os cargos foram redistribuídos para outras instituições pelo Decreto nº 1.262, de 10 de outubro de 19945, exarado pelo ex-presidente Itamar Augusto Cautiero Franco.

Como até 1989 a obra ainda não havia sido iniciada, o Vereador Solimar Bueno Patrício apresentou à Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim o Projeto de Lei nº 121, de 27 de setembro de 19906, por meio do qual solicita a ampliação do prazo para a Escola Técnica Federal do Espírito Santo (ETFES) construir a Unidade de Ensino Descentralizada (Uned). Aprovado o projeto, foi sancionada a Lei Municipal n. 3.366, de 17 de dezembro de 19947, por meio da qual o prazo foi prorrogado por mais quatro anos. Entretanto, esta lei foi revogada pela Lei Municipal n. 3.771, de 30 de novembro de 19928, retornando o terreno ao domínio do Município.

Em 29 de agosto de 1994, o Secretário de Educação Média e Tecnológica do Ministério da Educação, Nagib Leitone Kalil, enviou ao Diretor da ETEFES Prof. Carlos Roberto Alves dos Santos o Ofício n. 2.6789, informando que foram destinados recursos no Orçamento Geral da União do ano de 1995 para o início da implantação da Uned Cachoeiro de Itapemirim. Posteriormente, em 28 de dezembro de 1994, o MEC e a Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim assinaram o Convênio n. 116/9410, para a implantação da Uned com concessão de recursos por parte do Ministério.

Como o terreno no Bairro Aeroporto havia retornado ao domínio do Município, outro terreno foi doado por meio da Lei Municipal n. 4.190, de 29 de maio de 199611 sancionada pelo prefeito José Tasso Andrade, a Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim doou para a Escola Técnica Federal, um terreno localizado em Fazenda Morro Grande.

No dia 22 de abril de 1996, a Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim abriu a Concorrência Pública para escolher a empresa para realizar as obras de construção da Uned,12 13 tendo vencido a concorrência a construtora Akio. Entretanto, por problemas na execução da obra, o contrato com a construtora foi rescindido por meio do Decreto n. 11.791 de 03 de março de 199914, exarado pelo então prefeito Theodorico de Assis Ferraço.

No intuito de terminar a construção da escola, em 02 de dezembro de 1998 o MEC e a PMCI assinaram o Convênio de Cooperação Técnica n. 008/199815, por meio do qual objetivaram proporcionar o funcionamento da Escola Técnica de Cachoeiro de Itapemirim com base no Artigo 47, da Lei n. 9.649, de 27 de maio de 199816, que em seu parágrafo 5º, estabeleceu que a criação de novas unidades de ensino só poderia ocorrer por meio de parcerias entre os estados e munícipios. Assim, a escola passaria ao regime de gerenciamento comunitário ficando a cargo da PMCI a construção por execução direta e o posterior gerenciamento da Escola Técnica. Neste mesmo ano, o convênio n. 111/9817 foi celebrado entre o MEC e a PMCI para o repasse de recursos financeiros para a continuidade da obra da escola.

Em 1999 a Escola Técnica Federal do Espírito Santo, foi transformada em Centro Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Espírito Santo.

Posteriormente, a Lei Municipal n. 4.962 de 20 de março de 200018, que institui o Sistema Municipal de Ensino no Munícipio de Cachoeiro de Itapemirim e dá outras providências, incorpora a Escola Técnica de Cachoeiro de Itapemirim, ao Sistema de Ensino Municipal.

Posteriormente, de acordo com o Boletim Informativo da PMCI, publicado no Diário Oficial19, de 06 de agosto de 2001 o então prefeito Municipal Theodorico de Assis Ferraço viaja para Brasília onde se reuniria com o Ministro da Educação para tentar viabilizar a federalização da Escola Técnica. Depois, no Boletim Informativo publicado no Diário Oficial de Cachoeiro de Itapemirim20 de 21 de agosto de 2002 informa que o prefeito em exercício Jathir Gomes Moreira assina a autorização para federalização da Escola Técnica.

No ano de 2003 por meio da Portaria nº 2.357, de 3 de setembro de 2003, emitida pelo ministro da educação Cristóvam Ricardo Cavalcanti Buarque, o MEC21 autorizou o funcionamento da Uned Cachoeiro de Itapemirim, integrando o Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo (Cefetes).

Assim neste mesmo ano, os servidores Jayme Santos, Mário Jorge de Moura Zuany e Maria Helena da Silva Belonia, foram nomeados por meio da Portaria n. 13722, de 07 de abril para que formassem a Comissão Especial para recebimento das obras da Uned. E posteriormente, por meio da Portaria n. 31823 os servidores Braz Ragassi, Mário Jorge de Moura Zuany, Maria Helena da Silva Belonia e Veredino Cantilio de Melo foram designados para constituírem a comissão de recebimento definitivo da Uned.

Em 2004 foram iniciadas as atividades da Uned por meio de uma parceria entre o Cefetes, o Funcefets e a Prefeitura Municipal onde foram oferecidos os cursos de formação inicial e continuada em Produção e Exploração de Petróleo e Gás e de Informática.

Em 2005, a Lei Federal n. 9.649 foi revogada tornando possível que a Uned recebesse investimentos do Ministério da Educação para iniciar seus trabalhos.

E em 1º de agosto de 2005 iniciaram-se as aulas nos cursos de educação profissional técnica de nível médio em Eletromecânica e Rochas Ornamentais, que, em 2008, mudou para Mineração.

Em 2006 teve inicio o curso de educação profissional técnica de nível médio em Informática e em 2008 o curso superior de bacharelado em Engenharia de Minas. Foi também neste ano, em 19 de fevereiro que a escola foi oficialmente inaugurada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Também no segundo semestre desse ano o curso de Engenharia de Minas entrou em funcionamento sendo o primeiro curso de nível superior a iniciar suas atividades no Campus Cachoeiro de Itapemirim. Posteriormente em dezembro de 2008, a Lei nº. 11.892, criou os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. No caso do Espírito Santo, a integração entre o Centro Federal de Educação Profissional e Tecnológica e as Escolas Agrotécnicas Federais de Alegre, Colatina e Santa Tereza criou o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Na condição de Ifes, foi implantado em 2009, o Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio, ofertado na forma integrada com o Ensino Médio em Informática e Eletromecânica e também o curso superior de Licenciatura em Informática a distância; em 2010 o Curso superior de Licenciatura em Matemática, no início de 2013 o curso superior de bacharelado em Engenharia Mecânica e em 2014 o curso superior de bacharelado em Sistemas de Informação.

Fim do conteúdo da página